Notícias

JBS inicia demissão em massa com 200 desligamentos na capital

23 de março de 2011

O frigorífico JBS iniciou ontem (21) uma demissão em massa de trabalhadores nas suas unidades localizadas em Campo Grande. Na unidade do antigo Bordon, na saída para Aquidauana, os trabalhadores demitidos já somam 80. Na unidade II do grupo, antigo Bertin, que fica na saída para Sidrolândia, as demissões já teriam alcançado 100 trabalhadores. Segundo os funcionários desligados, foi dito que demissões devem ocorrer, podendo chegar a 500. Os demitidos foram comunicados que receberão 3 cestas básicas, como “ajuda” até que encontrem outro emprego.

Segundo o presidente da União Geral dos Trabalhadores de MS (UGT-MS), Fábio Bezerra, a empresa não cumpriu o que estabelece a lei nos casos de demissões coletivas, que devem ser precedidas de negociação.

Segundo trabalhadores demitidos na unidade I (antigo Bordon), foi passada a informação que a chamada “área fria” do frigorífico, onde é feita a desossa, será desativada. Dessa forma, a unidade fará apenas o abate dos bois e a desossa será feita na unidade II do grupo em Campo Grande, que, segundo sindicalistas da UGT, foi comprada do grupo Bertin com dinheiro do BNDES.

Monopólio e dinheiro do BNDES – Fábio diz que a demissão em massa por si já merece repulsa, “mas o fato se torna mais revoltante se levarmos em conta que o grupo JBS recebeu dinheiro do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para fazer investimentos. O sindicalista aponta uma contradição entre o discurso do governo federal, que afirma que os investimentos do BNDES são para gerar emprego e renda, com a realidade, onde o maior grupo produtor de carne do mundo recebe incentivos para em seguida fazer demissão em massa.

Para o sindicalista, os investimentos do governo federal no setor de frigoríficos precisa ser revisto. “Hoje temos em Campo Grande duas plantas frigoríficas fechadas, casos do Independêndia e Frangovit, além de outras unidades paradas no interior do estado”. Para ele, esses investimentos não podem estimular o monopólio, que leva à concentração no setor e demissões como estas que estão ocorrendo agora.

Fábio denuncia também que a empresa está se aproveitando das demissões para promover ação anti-sindical, desligando trabalhadores que fazem parte da chapa de oposição. “As eleições estão suspensas por determinação judicial e agora a empresa demite membros da chapa de oposição. Isso é uma clara manobra anti-sindical e vamos denunciar no Ministério Público”.

O candidato a presidente da chapa de oposição, Joel Silva Campanha, trabalhador da desossa, é um dos demitidos. Ele afirma que os trabalhadores foram pegos de surpresa, sem nenhum aviso prévio. “Só fomos comunicados”. Ele questiona sobre como ficará a situação dessas centenas de famílias. Ele considera a ação do grupo JBS como uma irresponsabilidade social, feita com dinheiro do BNDE. “O monopólio no setor da carne deu nisso”, conclui.

 

Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Exportações de carne devem crescer em 2017 28 de novembro de 2016 Após frustrar expectativa dos frigoríficos em 2016, as exportações brasileiras de carne bovina devem registrar um melhor desempenho no próximo ...
Virada de mês traz boas expectativas para os preços da arroba do boi 28 de novembro de 2016 Os negócios com a arroba do boi gordo em São Paulo continuam travados, mas a tendência de redução na oferta de animais confinados pode benefici...
Maggi: Brasil será livre de aftosa com vacinação em 2018 28 de novembro de 2016 O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou em um vídeo divulgado pelo governo federal que o Brasil receberá em maio de 2018 o certificado de...
Preço do milho alcança o menor patamar do ano 28 de novembro de 2016 As cotações do milho seguem em queda e já registram os menores patamares deste ano na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea. A pressão ai...
Fazendo conexão entre o campo e a cidade, premiação do Agrinho reúne mais de 650 pessoas 28 de novembro de 2016 Emoção, alegria e festa. Assim foi a cerimônia de premiação do Agrinho 2016 – programa de maior responsabilidade social do Senar/MS –...
Agrinho 2016: Alunos, educadores e escolas serão premiados na última etapa do programa em MS 24 de novembro de 2016 Depois de um ano de aprendizado, dentro e fora da sala de aula, agora é o momento de coroar o desenvolvimento obtido  com a última etapa do A...
Consumo não melhora e preços da arroba seguem pressionados 24 de novembro de 2016 Mercado parado, poucos negócios e pouco ímpeto dos compradores.O movimento que mais se vê é de baixa, completamente desalinhado ao sazonal para no...