Artigo: O que está acontecendo com a relação de troca bezerro/boi gordo?

21 de maio de 2020

Guilherme Cunha Malafaia

Paulo Henrique Nogueira Biscola
Fernando Rodrigues Teixeira Dias
 
Esta pergunta paira na cabeça dos pecuaristas quando veem as cotações dos bezerros chegando a patamares muito altos, na casa dos R$ 2 mil,  e trazem a dúvida se a conta vai fechar, quando consideram este patamar de preços de bezerro para reposição, o valor da arroba do boi gordo praticado no mercado e o cenário adverso causado pela pandemia do novo coronavírus.
 
Para tentar entender o que está acontecendo analisamos os preços de bezerro e do boi gordo nos últimos sete meses (desde 01/10/2019) com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada - CEPEA-USP. Nesse período o menor valor da relação de troca de bezerro por arroba de boi gordo foi encontrado no dia 22/11/2019 (6,[email protected] para cada bezerro). O preço do bezerro seguiu estável enquanto a arroba subiu até o valor de R$ 232,09 em 29/11/2019, o que levou à queda da relação de troca bezerro/arroba de boi gordo.
 
Após 22/11/2019 o cenário da relação de troca começou a se alterar, com a arroba do boi gordo diminuindo até chegar a R$ 186,84 em 29/01/20 (queda de 18,8 %), enquanto o preço do bezerro começou a subir, ficando 35,4% mais alto em 11/05/2020 em relação a 22/11/19 (R$ 2.028,81 por cabeça). O preço estável e mais baixo da arroba do boi gordo, em conjunto com o preço crescente do bezerro, fez com que a relação de troca bezerro/arroba do boi gordo atingisse o patamar mais alto em 18/03/2020, 60,2% superior ao valor de 22/11/2019 (10,[email protected] para cada bezerro). Em 11/05/2020, a relação de troca esteve 55,2% mais alta do que em 22/11/19 (10,[email protected] para cada bezerro). Para os recriadores, esta relação atingiu um dos piores patamares da série histórica de 26 anos acompanhada pelo CEPEA.
 
A valorização dos preços dos bezerros pode ser explicada, em parte, pelo ciclo pecuário, isto é, quando o abate de matrizes em anos anteriores reduz a disponibilidade de bezerros levando ao aumento de seu preço de venda.  Além disso, muitos leilões de animais de reposição foram cancelados em função da pandemia COVID-19, contribuindo para a redução do volume de negócios.
 
O valor em alta do bezerro afetará diretamente os confinamentos do segundo semestre, pois a reposição representa cerca de 65% do custo de produção. Aqueles produtores que fizeram gestão de risco e travaram preços no mercado futuro para outubro com o valor da arroba na faixa de R$ 210,00 a R$ 215,00 deverão continuar na mesma escala. O problema maior é de quem precisará de reposições sem estar com o preço do boi gordo travado no mercado futuro para o segundo semestre de 2020. 
 
Assim, recomenda-se fortemente aos pecuaristas a utilização de ferramentas de comercialização que minimizem o impacto da volatilidade de preços do mercado pecuários nos seus negócios. 
 
 
 
Fonte: *Pesquisadores do Centro de Inteligência da Carne - CiCarne, Embrapa Gado de Corte/MS Embrapa Gado d