Liquidez retornando no mercado de reposição

21 de junho de 2019

Após duas semanas de marasmo e pressão nos preços, o mercado de reposição “voltou a andar nos trilhos.” 

No mercado do boi gordo, as indústrias estavam com estoques enxutos, já que seguraram as compras devido à então suspensão das exportações para China.

Com a retomada dos embarques, os frigoríficos saíram ávidos às compras e o preço do boi gordo reagiu em grande parte do país.

 

Alguns pecuaristas ainda permanecem resistentes nas negociações com as indústrias, mas aqueles que optaram por negociar a boiada aproveitaram o momento mais “frágil” da reposição para repor o plantel da fazenda.

 

Com isso, a demanda começou a se aquecer em alguns estados como Mato Grosso, Tocantins e São Paulo, principalmente.

 

Na praça paulista o preço de todas as categorias de machos anelorados subiu na comparação semanal.

 

Em alguns outros estados como a Bahia, Rio Grande do Sul e Pará, a reposição não sentiu tanto o efeito do caso atípico de vaca louca e os negócios seguem aquecidos, praticamente nos mesmos patamares pré-suspensão.

 

Já em Mato Grosso do Sul, apesar da recuperação das cotações do boi, vendedores e compradores da reposição ainda estão cautelosos na comercialização da reposição.

 

Para a próxima semana, a expectativa é de que a demanda em alta volte a sustentar os preços dos animais de reposição, principalmente de categorias mais novas.

 

Vale lembrar que os preços mais altos do milho têm diminuído o interesse por animais mais velhos para terminação no cocho.

Fonte: Scot Consultoria