Notícias

Simpósio aborda experiências em conservação de raças ovinas locais

24 de abril de 2019

A Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), a Uniderp, a Fundação Manoel de Barros e a Embrapa realizam nos dias 25 e 26 de abril o Simpósio do Ovino Pantaneiro - uma raça localmente adaptada sul-mato-grossense, em Campo Grande (MS). O objetivo do encontro é levar aos ovinocultores os resultados de pesquisas alcançados nos últimos dez anos em relação à linhagem genética. 

 
“Entre os resultados temos as avaliações de ganho de peso, reprodução, sanidade, produção e características do leite, lã e pele, além de amplos estudos de sua carne e análises econômicas da criação”, afirmam os pesquisadores Marcos Barbosa Ferreira (Uniderp), Fernando Miranda de Vargas Jr. (UFGD) e Fernando Reis (Embrapa). Os especialistas comentam que a ovinocultura ganhou espaço e profissionalização, com informações de mercado e custo de produção intensificadas, o que refletiu em pesquisa. 
 
Atualmente, há uma rede de pesquisadores com foco no ovino pantaneiro, consolidada por meio da iniciativa “Estratégias para caracterização racial, genética e conservação do ovino pantaneiro”, financiada pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), sob liderança da UFGD. Há também um projeto da Embrapa que busca gerar conhecimentos para a produção de cordeiros a pasto no cerrado e quebrar a sazonalidade produtiva, com dados sobre características de carcaça e qualidade da carne, proporcionando animais para abate ao longo de todo o ano.
 
Os especialistas alertam que apesar dos avanços há dificuldades para a cadeia como a ampliação do rebanho, maior retenção de fêmeas para reposição e aumento no número de matrizes, alternativas de produção para atendimento das exigências do mercado, diminuição do custo de produção buscando escala e padronização dos produtos e a capacitação de mão-de-obra, um antigo gargalo. 
 
Programação Simpósio
O evento será dividido em duas partes, com apoio do Governo do Estado de MS - Semagro, Associação Brasileira dos Criadores de Ovinos (ARCO), Associação Sul-mato-grossense de Criadores de Ovinos (Asmaco), Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV/MS) e Marcarne. A primeira acontecerá na Unidade Agrárias da Uniderp, no dia 25, com palestras, exposição e comercialização de produtos.
 
Temas como ovelha pantaneira, raças autóctones, carne ovina e criação de ovinos adaptados serão levantados por pesquisadores da UFGD, Uniderp, Universidade de Lisboa, Centro de Investigação e Tecnologia Agroalimentar (Espanha) e Embrapa. Com espaços para mesas-redondas e reunião técnica. Um dos destaques é a partilha de experiências positivas na Europa, com os pesquisadores Rui Bessa e Begonã Doblado, que conciliam a preservação de raças locais ao apelo comercial de seus produtos.
 
No dia 26 de abril, sexta-feira, os participantes conhecerão o Núcleo Regional Centro-Oeste para Caprinos e Ovinos da Embrapa, localizado na Fazenda Modelo, em Terenos (MS), em um dia de campo, por adesão. 
 
Ainda durante o Simpósio será formalizada a criação da Associação Brasileira dos Criadores de Ovinos Pantaneiros (ABCOPAN), uma iniciativa dos produtores. 
 
A chefe-adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Caprinos e Ovinos, Ana Clara Cavalcante, considera eventos como o Simpósio muito relevantes e explica que a Embrapa tem projetos com animais geneticamente adaptados e melhorados para os diferentes biomas brasileiros. “Além do Pantanal, temos, no Semiárido, núcleos de conservação de rebanhos de ovinos das raças Morada Nova, Somalis e Santa Inês.  Nosso desafio é levar esses animais dos campos experimentais para o ambiente produtivo, para que sejam úteis aos sistemas de produção”.
 
Ovino Pantaneiro
Um dos itens considerados pela ARCO para a efetivação do ovino pantaneiro como raça são os projetos e resultados de pesquisa na região. Os pesquisadores desejam a preservação da raça, para que sua genética não corra risco de extinção, a partir da introdução de animais exóticos. Ovinos pantaneiros são considerados os planteis criados extensivamente no Pantanal.
 
Segundo eles, até o momento, “já está estabelecida a variabilidade genética e o potencial para avanços do desempenho produtivo, por meio do melhoramento genético. Agora se propõe uma metodologia denominada “conservação e uso”, na qual se busca a preservação aliada a um atrativo comercial de interesse do setor produtivo”.
 
Além disso, se pretende definir as qualidades da matriz, respondendo a questionamentos como: “comparativamente a outras raças e sistemas de produção distintos, como a ovelha pantaneira se comporta” e “qual seria a indicação da futura raça para uma determinada condição de criação?”.
 
Serviço: Simpósio do Ovino Pantaneiro
 
Data: 25 e 26 de abril
Local: Uniderp Agrárias e Embrapa
Informações: http://bit.ly/2UHyyZa
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Venda de tratores de rodas cresce 39,6% em MS no primeiro quadrimestre de 2019 21 de maio de 2019 A venda no varejo de tratores de rodas cresceu 39,6% em Mato Grosso do Sul no primeiro quadrimestre de 2019 frente ao mesmo período de 2018, passando...
Manejo do palhiço no sul de Mato Grosso do Sul prejudica canavial 21 de maio de 2019 Pesquisa realizada pela Embrapa Agropecuária Oeste, na região sul do Mato Grosso do Sul comprovou que nessa região quanto menos manejo for feito co...
Caminhoneiros boiadeiros param no PA e afetam pecuária 21 de maio de 2019 A pecuária do Pará, mais especificamente no norte do Estado, se encontra em difícil situação, relata boletim desta tarde de terça-feira da Infor...
Exportação de lácteos da Argentina aumenta 9% no 1º trimestre, para 72,6 mil toneladas 21 de maio de 2019 A exportação de produtos lácteos argentinos aumentou 9% em volume no primeiro trimestre deste ano, em comparação com igual intervalo do ano anter...
PIB do Agro cresce 0,07% em fevereiro, mas cai 0,46% no 1º bi 21 de maio de 2019 O PIB do agronegócio calculado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecu...
Calor durante o dia e frio no início da noite; sem previsão de chuva na maior parte de MS 21 de maio de 2019 O calor deve continuar nesta terça-feira (21). Uma massa de ar seco ganhou força sobre o Centro-Oeste e ainda atua na maioria das áreas . Mesmo com...
Custos de produção de suínos e de frangos de corte caem 2% em abril 21 de maio de 2019 Os custos de produção de suínos e de frangos de corte calculados pela CIAS, a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, caíram 2,16% ...


Foto: Reprodução
Pesquisadores desejam a preservação da raça, para que sua genética não corra risco de extinção