Notícias

Governo discute vigilância no trânsito de animais e produtos pecuários

06 de dezembro de 2018

O superintendente da Semagro, Rogério Beretta, e o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, estiveram em São Paulo nesta terça e quarta feira (4 e 5 de dezembro) participando da primeira reunião sobre vigilância no trânsito nacional e internacional de animais e produtos pecuários, na sede da FAESP. Sobre os temas discutidos Luciano destacou as estratégias de controle do trânsito de animais, produtos e subprodutos de origem animal, por ser um trabalho fundamental para evitar a entrada ou reintrodução de doenças, como citou a febre aftosa, lembrando que o País se prepara para gradativamente retirar a obrigatoriedade da vacinação.  

A experiência de outros Estados neste trabalho, apresentada durante a programação, foi destacada por Rogério Beretta como sendo um dos pontos altos do encontro. “Somos excelência em diversos serviços que realizamos na Iagro, contudo, sempre há como melhorar e é isso que buscamos. O encontro foi muito proveitoso”. Completou. Na oportunidade o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo, Fábio Meirelles disse que a vigilância no trânsito animal e internacional de animais e produtos pecuários tem sido preocupação constante da instituição, que vem realizando um trabalho profícuo neste sentido com o CNPC – Conselho Nacional de Pecuária de Corte.
 
Meirelles declarou que a FAESP defende a antecipação do status de área de livre aftosa sem vacinação e a criação de um fundo privado, com fins indenizatórios e educacionais, seguindo os exemplos dos estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Goiás. Júlio Cesar Augusto Pompei, coordenador da Panaftosa afirmou que ter ‘as Américas livres de vacinação contra a febre aftosa’ não é um sonho impossível e para realizá-lo os serviços sanitários sul americanos estão se reunindo com a iniciativa privada de seus países, para campanha de vacinação na Venezuela.
 
“É um projeto que o Brasil tem interesse estratégico por causa da fronteira, e todo o investimento feito na erradicação da aftosa é principalmente para obtermos maior segurança na região. Nós temos que interromper a circulação do vírus da aftosa na região (Colômbia e Venezuela). E, obviamente, dar condições ao setor privado e ao serviço veterinário oficial da Venezuela para realizarem trabalho de longo prazo na erradicação e prevenção da doença”, completou.
 
O Brasil não apresenta um foco da doença, desde 2006, e estudos do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa) mostram que o gado pode prescindir da vacina, após cinco anos. Pompei reiterou quer o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa) está coordenando, por determinação dos países membros da Comissão Sul Americana da Luta Contra febre aftosa (Cosalfa), um plano de vacinação contra a doença no rebanho bovino e bubalino da Venezuela, durante dois anos, podendo ser prorrogados por mais dois anos. Para tanto, buscará a criação de um fundo privado para empregar nas ações de defesa, como a contratação de vacinadores, aluguéis de carros para campanhas de vacinação, compra de pistolas para aplicação das vacinas e estruturação da cadeia de frio para a conservação das vacinas. Os países buscarão apoiar as ações com o envio de profissionais e doação de vacina contra a doença.
 
Também estiveram presentes representantes do MAPA, FAESP, SAA, CDA, FONESA: Arnaldo Manuel de Souza Machado Borges, Presidente da ABCZ; Sérgio Rocha Muniz, Diretor Presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Amazonas – ADAF; Inacio Afonso Kroetz, Diretor Presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná; Fernando Gomes Buchala, Coordenador de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo, Mario Sergio Tomazela, Coordenador Substituto de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo; Luiz Alberto Rincoski Faria, Diretor-Presidente da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina; Judi Maria da Nóbrega, Diretora Substituta do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Guilherme Henrique Figueiredo Marques, Diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Fonte: Semagro
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Câmara Setorial de Florestas de MS trabalha na atualização do Plano Florestal 21 de junho de 2019 As demandas do setor de florestas, tanto plantada quanto nativa, vem sendo tratadas em Mato Grosso do Sul com auxílio da Câmara Setorial de Floresta...
Pronaf e Pronamp terão os maiores orçamentos de suas histórias no Plano Safra 21 de junho de 2019 O anúncio do Plano Safra 2019/2020, que neste ano voltou a incluir todos os produtores rurais, beneficiou os agricultores familiares, avalia o secret...
Liquidez retornando no mercado de reposição 21 de junho de 2019 Após duas semanas de marasmo e pressão nos preços, o mercado de reposição “voltou a andar nos trilhos.” No mercado do boi gordo,...
Um dia a menos de compras colabora com a firmeza no mercado do boi 21 de junho de 2019 Com um dia a menos de compra, devido ao feriado da última quinta-feira, o mercado trabalhou em ambiente firme durante essa semana.  As ind...
EUA esperam colher sua pior safra de milho em quatro anos 19 de junho de 2019 O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) reduziu fortemente sua estimativa para a produção doméstica de milho em 2019/20. Em seu rel...
O inverno que começa na sexta-feira terá influência do El Niño 19 de junho de 2019 Previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para o inverno, que começa oficialmente nesta sexta-feira (21) e vai até 23 de setembro, ind...
Girolando: avaliação genômica das vacas e sumário de touros será lançado durante Megaleite 19 de junho de 2019  O Programa de Melhoramento Genético da Raça Girolando lança nesta quarta-feira (19), durante a Megaleite, a Avaliação Genômica de Vacas/20...


Foto: Divulgação
O superintendente da Semagro, Rogério Beretta, e o diretor da Iagro, Luciano Chiochetta, estiveram em São Paulo