Notícias

“Não houve conversa”, diz Heinze sobre ida para o Ministério da Agricultura

07 de novembro de 2018

O deputado federal Luiz Carlos Heinze (PP-RS) negou, nesta terça-feira (6/11), ter conversado com a equipe do novo governo para ocupar o ministério da Agricultura. Próximo de Jair Bolsonaro - tendo, inclusive, acompanhando o resultado da apuração do segundo turno das eleições na casa do presidente eleito, no Rio de Janeiro (RJ) - o parlamentar tem seu nome entre os cotados para assumir a pasta.

“Não houve conversa sobre ministério e não estou preocupado com isso. Tenho mandato”, disse Heinze, em conversa por telefone com a reportagem da Globo Rural. “Estão resolvendo internamente e não sei dizer se tem nome definido ou não”, acrescentou, referindo-se à equipe de transição.
 
Senador eleito e uma das principais lideranças ruralistas no Congresso, ele sinalizou assumir o mandato e reforçar a Frente Parlamentar Agropecuária (FPA) no Senado. Na próxima legislatura, a bancada não terá na Casa nomes de peso como Ana Amélia Lemos, Ronaldo Caiado e o atual ministro, Blairo Maggi.
 
Ainda assim, há quem não descarte a ida de Heinze para a Esplanada dos Ministérios, onde sucederia Maggi no primeiro escalão do governo Bolsonaro. “Tem chance, tem um vasto serviço prestado”, especula um político ligado ao agronegócio, sob a condição de anonimato.
 
Segundo ele, no entanto, se o novo ministro da Agricultura for indicado pelos ruralistas, será apenas depois de uma reunião com o presidente eleito. O deputado Valdir Colatto (MDB-SC), que não conseguiu um novo mandato na Câmara e diz acompanhar a discussão por “contatos com a bancada”, nega haver, neste momento, alguma sugestão.
 
É o que vem falando a própria presidente da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), deputada reeleita Teresa Cristina (DEM-MS). Segundo ela, as conversas sobre o novo ministro devem incluir a Frente Parlamentar, que apoiou publicamente a candidatura de Bolsonaro. Mas, segundo a deputada, a agenda do setor é mais importante que a indicação.

Fonte: Revista Globo Rural
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

MS deve colher cerca de 9 milhões de toneladas de soja, com retração devido à estiagem 18 de janeiro de 2019  Mato Grosso do Sul deve colher cerca de 9 milhões de toneladas de soja nessa safra, segundo dados do SIGA-MS (Sistema de Informação Geográfi...
Abimaq pede aporte de R$ 3 bilhões no orçamento do Moderfrota 18 de janeiro de 2019 A Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos solicitou ao governo aporte de R$ 3 bilhões no orçamento do Moderfrota, principa...
Práticas de manejo adequadas podem resultar em lavouras alta performance 18 de janeiro de 2019 A alta produtividade da soja e a incansável busca pelos 100 sacos por hectare é um dos desejos de grande parte dos sojicultores. Para alcançar resu...
INTL FCStone mantém previsão de moagem no Centro-Sul e reduz produção de etanol 18 de janeiro de 2019 A INTL FCStone manteve nesta quinta-feira (17/1), na segunda estimativa para safra 2019/2020 de cana-de-açúcar no Centro-Sul do Brasil, a previsão ...
Cotação do boi gordo estável em São Paulo e frouxa em Mato Grosso do Sul 18 de janeiro de 2019 A melhoria da oferta de boiadas não tem sido suficiente para pressionar de maneira efetiva o mercado, considerando São Paulo como referência. As pr...
Margens do produtor de soja ficarão mais apertadas com a quebra na safra 18 de janeiro de 2019 O clima desfavorável no mês de dezembro deve impedir um novo recorde na produção brasileira de soja e, com os preços em patamares mais baixos, os...
Pesquisas avaliam processos e características da carne maturada a seco 18 de janeiro de 2019 Acompanhando o que existe de novo no cenário externo e interno, pesquisadores da Embrapa Pecuária Sudeste estão iniciando estudos com a carne matur...


Foto: Divulgação
"Não houve conversa sobre Ministério", garante Luiz Carlos Heinze