Notícias

Depois do frango, europeus embargam importações de pescado do Brasil

18 de maio de 2018

Depois de barrar a entrada de frango produzido em 20 frigoríficos brasileiros, a maior parte deles da BRF, por causa de suspeitas de deficiência no controle sanitário do produto, a União Europeia comunicou ao governo do Brasil que vai impedir também a entrada de pescado.

A informação foi confirmada pelo secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Luís Eduardo Rangel. "Estamos seguros de que no caso dos pescados não há problemas de controle sanitário", afirmou. O problema, dessa vez, é que o controle das embarcações que se dedicam à pesca no Brasil não está em conformidade com as regras adotadas na Europa.
 
Ciente da incompatibilidade das regras e dos problemas que isso poderia trazer ao comércio, o próprio governo brasileiro tomou a decisão, em dezembro passado, de fazer um autoembargo das exportações de pescado para a Europa. Ou seja, o Brasil suspendeu voluntariamente suas exportações para adequar os controles e as embarcações ao padrão europeu.
 
"Avançamos bastante nesses cinco meses, e isso foi reconhecido por eles", disse Rangel. Pelo menos três embarcações já estão com o novo certificado - o que, em tese, autorizaria essa produção ao mercado europeu.
 
No entanto, a União Europeia informou que vai descredenciar as plantas produtoras de pescados do Brasil a exportar para seu mercado. Com isso, explicou o secretário, fica a critério deles, e não do governo brasileiro, a retomada das compras do produto brasileiro. "Acreditamos que esse é um posicionamento político, tal como o que eles adotaram no caso do frango", disse.
 
De acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as exportações de pescados brasileiros para a Europa somaram US$ 24 milhões no ano passado, uma queda de 26% em comparação com 2016.
 
É um valor baixo, considerando-se que o total de vendas de carnes em geral foi de US$ 952 milhões no período e o total exportado, considerando todos os produtos, atingiu US$ 35 bilhões.O governo brasileiro já anunciou que pretende acionar a Organização Mundial do Comércio (OMC) por causa das barreiras impostas pelos europeus ao frango.

Fonte: Revista Globo Rural
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Monitoramento ambiental e social de 15 mil pecuaristas garante conformidade da cadeia da carne para 19 de outubro de 2018 O Brasil vigora entre os maiores produtores e exportadores de carne bovina do mundo e seus consumidores estão de olho nesse mercado. A cobrança por ...
Valor da Produção Agropecuária é de R$ 574,25 bilhões 19 de outubro de 2018 O montante obtido para as lavouras e pecuária, com dados de setembro, foi avaliado em R$ 574,25 bilhões, 2,7% abaixo do ano passado, que foi de R$ 5...
Programa busca startups de agro focadas em Internet das Coisas (IoT) 19 de outubro de 2018 Empreendedores que possuem startups de agronegócio e que trabalham com Internet das Coisas (IoT) podem se inscrever no Agro IoT Lab 2018, programa de...
São Paulo tem maior produtividade de carne por animal 19 de outubro de 2018 Ainda que São Paulo não concentre o maior rebanho brasileiro, o Estado registra a produtividade mais elevada do País, seguida por Mato Grosso, o ma...
Preços da arroba do boi gordo cedendo em todas as praças do País 19 de outubro de 2018 Mercado do boi gordo trabalhando com viés de baixa. O aumento da oferta de gado confinado e o dólar perdendo força abrem espaço para que os frigor...
Ação participativa auxilia no cuidado com o solo em Uganda 19 de outubro de 2018 Um grupo de pesquisadores da Embrapa esteve no estado de Mbale, Uganda, por três semanas nos meses de setembro e outubro a fim de compartilhar a ferr...
Embrapa Gado de Leite incentiva ideias inovadoras para cadeia do leite 19 de outubro de 2018 Tem ideias inovadoras para a cadeia do leite? Inscreva-se para o Desafio de Startups, do projeto Ideas For Milk, da Embrapa. Empreendedores, estudante...


Foto: Arquivo
Em dezembro passado, o Brasil suspendeu voluntariamente suas exportações para a Europara para adequar os controles e as embarcações ao padrão europeu