Leilão União da Raça Crioula consolida MS como polo de referência no Centro-Oeste

14 de abril de 2018

O 5º Leilão União da Raça Crioula, realizado nesta sexta-feira (13/4), no Tatersal 1 do Parque de Exposições Laucídio Coelho, em Campo Grande (MS), durante a 80ª Expogrande, consolida Mato Grosso do Sul como polo de referência dos cavalos crioulos na Região Centro-Oeste. Promovido pela Programa Leilões e Parceria Leilões e transmissão ao vivo pela Remate Web e Terra Pecuária, o certame comercializou 45 animais totalmente adaptados ao cerrado graças aos trabalho do núcleo local e do fomento da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC).

 
Segundo o diretor de eventos do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Mato Grosso do Sul, Geraldo Barbosa de Paiva, a raça vem se adaptando muito bem no Centro-Oeste, especialmente em Mato Grosso do Sul. “Com características de bom temperamento, rusticidade e docilidade para o trabalho do dia, os cavalos crioulos conquistaram os criadores. Além disso, essas características tornam os animais da raça ideais para as provas de Laço Comprido”, informou, completando que o plantel do Estado tem atraído muitos interessados da Região Norte do Brasil.
 
No leilão desta sexta-feira, um dos destaques foi o lote 35, composto pela égua AS Malke Bela Lua, de 5 anos e 4 meses de idade, que foi arrematada por R$ 30.500,00 pelo Rancho Waikam. Domada, a tordilha de ótima função e com uma morfologia diferenciada, pois é filha do registro de mérito BT Lucero, produtor dentre vários campeões da atual grande campeã e melhor exemplar da raça BT Decisão II, com uma égua com grande campanha morfológica, descende da Idahue Oportuna, com 33,25 pontos no registro de mérito. Além disso, deixa uma reserva na Cabanha, Oquytã Godiva filha de Quilero Valentin.
 
Outra boa venda foi a égua Juba de Santa Cinilda, de 13 anos e 4 meses de idade, que foi comprada por R$ 23.500,00 pela Agropecuária Tozza. Essa fêmea é domada e comprovada em pistas morfológicas e funcionais, trazendo em seus méritos 14 pontos morfológicos e multipremiada nas pistas de laço, eleita Selo de Raça em crioulaço, vem se destacando como mãe pela progênie gerada na Estância Charrua. Filha de Barão de Santa Cinilda, garanhão premiado em pistas morfológicas e funcionais e produziu inúmeros finalistas das pistas. Juba de Santa Cinilda vem prenhe de Dele Boca da Estância Charrua, garanhão jovem da cabanha, foi campeão incentivo 2016.
 
Já o lote 17, composto pela égua Baderna Catarina, de 7 anos e 5 meses de idade, foi comprado por R$ 12.500,00 por Guilherme Amazio. Trata-se de uma egua nova, muito típica da raça e bonita e é só olhar para a potranca que está a seu pé (filha de Campana Zíngaro) para ver a sua qualidade como mãe. Além disso, está prenha do Huracan do Capão Redondo.
 
Outra boa venda no leilão foi o lote 41, composto pela égua Havaiana da Tamareira, de 5 anos e 4 meses de idade, que foi comprada por R$ 10.500,00 pela Fazenda Tomazelli. Linda, feminina e de boa retangularidade, essa fêmea tem pedigree de campeões, pois é filha do pai de Cabanha Boneco do Acegua em égua direta no Hornero. Toda linha baixa na linhagem La Invernada, sendo potra domada para toda lida.
Fonte: Assessoria de Imprensa da Acrissul | Expogrande