Notícias

Leito do Miranda sobe mais de 7 metros, transborda e Imasul aciona Defesa Civil

06 de dezembro de 2017

O leito do Rio Miranda ultrapassou 7 metros no ponto de monitoramento do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), na área urbana, às 7h da manhã desta quarta-feira (6), atingindo nível de emergência. Nesse ponto as águas já começam a transbordar e pode ocorrer alagamento de casas localizadas próximo às margens. A Sala de Situação do Imasul emitiu Aviso de Evento Crítico e comunicou a Defesa Civil do Estado para as providências necessárias.

 
E a cheia continuou, segundo informou o Fiscal Ambiental Jun Nukariya, da Sala de Situação do Imasul. Às 7h a régua media 7,07 metros de lâmina d’água e às 10h já eram 7,12m, o que reforça a necessidade de medidas de emergência como a remoção de famílias que vivem perto das margens. Várias famílias já estão sendo retiradas de casa, informou Paulo Brito, da área técnica da Defesa Civil de Miranda.
 
“Temos previsão de chuvas na região para as próximas 24 horas, podendo ultrapassar o nível atual de 710cm. Hoje às 09:00h a cota já ultrapassou os 700cm iniciando-se a inundação de propriedades rurais. Com a subida do Rio, já iniciou o processo de invasão das águas nas instalações lindeiras ao curso hídrico”, reportava o alerta de Evento Crítico emitido pela Sala de Situação do Imasul.
 
Outra régua instalada em um ponto acima do rio evidencia que ainda há muita água descendo. Há quatro dias essa régua registra altas seguidas, afirmou Jun Nukariya. Desse ponto as águas demoram quatro dias para chegar até a cidade de Miranda.
 
A Sala de Situação do Imasul monitora os leitos dos principais rios do Estado em 12 pontos e informa a Defesa Civil sempre que o nível supera o limite considerado de alerta ou emergência. Além da Sala de Situação, a Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) dispõe de outro importante instrumento para orientar o poder público e a população em geral sobre mudanças bruscas no clima e tempo: o CEMTEC (Centro de Monitoramento de Tempo, do Clima e dos Recursos Hídricos de Mato Grosso do Sul).
 
O CEMTEC mensura a quantidade de chuva em 27 pontos no Estado e constata que na maior parte deles foram registradas precipitações bem acima do normal tanto em outubro quanto em novembro, o que pode indicar um fim de ano preocupante sobretudo para as cidades localizadas nas margens de rios.

Fonte: Imasul
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

ExpoMS Rural abre oficialmente no dia 23 com portões livres 15 de agosto de 2018 A ExpoMS Rural deste ano está com sua agenda praticamente fechada e lotada de grandes acontecimentos.  A feira, que já se tornou uma tradição...
Encontro Técnico do Leite: evento será realizado no dia 31, na ExpoMS Rural 13 de agosto de 2018 O Senar/MS – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural realizará, no dia 31 de agosto, a 21ª edição do Encontro Técnico do Leite. O event...
Baixa oferta de boiadas para abate 13 de agosto de 2018 Poucas negociações no mercado do boi gordo na última sexta-feira (10/8). Em apenas uma praça houve valorização e nas demais o preço da arroba f...
Preço do boi melhora, mas criadores gastam mais para engordar o gado 13 de agosto de 2018 Em julho, o preço pago pela arroba do boi gordo em Mato Grosso do Sul fechou valendo R$ 131,77, valorização de 13,2% em um ano. A alta foi puxada p...
Começa nesta segunda o prazo para entrega da declaração do imposto sobre área rural; veja regras 13 de agosto de 2018 Começa nesta segunda-feira (13) o prazo para produtores rurais de todo o país entregar a Declaração do Imposto sobre a Propriedade Rural (DITR), r...
Milho: Expectativa de menor oferta mantém vendedor recuado 13 de agosto de 2018 O movimento de alta dos preços de milho, iniciado em julho, segue firme no mercado brasileiro. Segundo pesquisadores do Cepea, estimativas divulgadas...
Soja: Exportação à China e menor estoque impulsionam cotação no Brasil 13 de agosto de 2018 A valorização do dólar frente ao Real, o maior interesse chinês pela oleaginosa brasileira e a redução no estoque nacional de passagem sustentar...


Foto: Ronaldo Vídeos Miranda
Outra régua instalada em um ponto acima do rio evidencia que ainda há muita água descendo