Notícias

CNA reafirma compromisso para fortalecer cadeia produtiva do leite

10 de novembro de 2017

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, recebeu empresários do setor de lácteos do País, na quarta (8/11), para tratar de ações que aumentem a produtividade e ampliem a competividade da cadeia produtiva de leite no exterior.

Essas ações, segundo o presidente da CNA, têm que ser boas tanto para o setor primário quanto para a indústria. “Por isso, vamos construir projetos juntos”, afirmou Martins, reforçando que o avanço da produtividade passa pelo aumento da eficiência e do conhecimento. Ele enfatizou a importância da atuação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) neste processo.

“O SENAR têm condições de capacitar e oferecer assistência aos produtores. Isso é fundamental para transformarmos o Brasil no maior produtor e maior exportador de leite do mundo”, afirmou.

Paulo Hegg, representante do grupo Tirolez, maior exportador de queijos do Brasil, agradeceu à disposição da confederação em construir o projeto de fortalecimento da cadeia produtiva.

“A CNA pode contar conosco para trabalharmos juntos. O Brasil já alcançou sucesso em outras áreas do agro e respeito no mundo todo. Agora, temos que confiar que também vamos conseguir isso com o leite”, observou Hegg.

A abertura de novos mercados também foi pauta da reunião.

Segundo Marcelo Martins, diretor executivo da Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos), o momento é bom porque a sociedade está madura para tentar um passo importante à frente, que é trabalhar sobre o aumento da produtividade do leite.

“As exportações de queijos, especialmente dos produtos processados, estão 40% mais altas do que no ano passado. Esse é o setor que mais cresce porque trata-se de um produto de maior valor agregado”, analisou Martins.

O Superintendente Técnico da CNA, Bruno Luchhi, identificou que existe convergência e sinergia entre os setores primário e industrial.

 “Vamos elaborar uma agenda focada na abertura de mercados, ganho de competitividade, melhoria da qualidade e da produtividade nacional”, finalizou Lucchi. 


Fonte: CNA
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Boi gordo: maior preço nominal desde dezembro de 2016 21 de setembro de 2018 As altas consecutivas da cotação da arroba do boi gordo continuam e no fechamento da última quinta-feira (20/9) em sete praças pecuárias o preço...
Inmet prevê episódio de El Niño no fim da primavera 21 de setembro de 2018 A Primavera começa no próximo sábado (22), às 22h53 e termina no dia 21 de dezembro, às 20h22 (início horário de verão). Os principais centros...
Bill Gates financia o desenvolvimento de nova vacina contra febre aftosa 20 de setembro de 2018 O Instituto Pirbright, do Reino Unido, anunciou que recebeu uma doação de 2,1 milhões de libras (2,7 milhões de dólares) da Fundação Bill e Mel...
Holanda é a segunda maior exportadora do agronegócio 20 de setembro de 2018 A Holanda é a segunda maior exportadora do agronegócio mundial, exportando US$ 110 bilhões por ano, atrás apenas dos Estados Unidos e à frente do...
De olho no abate de fêmeas 20 de setembro de 2018 O mercado de reposição segue sua trajetória de alta e as cotações já acumulam valorização de 2,1% desde o início de julho.Na comparação sem...
Falta boi e preço sobe 20 de setembro de 2018 A expectativa era de que os preços do boi perdessem força à medida que o fim do mês se aproxima, mas indo na contramão, o mercado fechou está qu...
Maggi diz que Brasil vai reforçar barreiras contra peste suína 20 de setembro de 2018 O Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, declarou que o Ministério da Agricultura (Mapa) orientou profissionais do Sistema de Vigilância Agropecuár...