Notícias

CNA reafirma compromisso para fortalecer cadeia produtiva do leite

10 de novembro de 2017

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, recebeu empresários do setor de lácteos do País, na quarta (8/11), para tratar de ações que aumentem a produtividade e ampliem a competividade da cadeia produtiva de leite no exterior.

Essas ações, segundo o presidente da CNA, têm que ser boas tanto para o setor primário quanto para a indústria. “Por isso, vamos construir projetos juntos”, afirmou Martins, reforçando que o avanço da produtividade passa pelo aumento da eficiência e do conhecimento. Ele enfatizou a importância da atuação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) neste processo.

“O SENAR têm condições de capacitar e oferecer assistência aos produtores. Isso é fundamental para transformarmos o Brasil no maior produtor e maior exportador de leite do mundo”, afirmou.

Paulo Hegg, representante do grupo Tirolez, maior exportador de queijos do Brasil, agradeceu à disposição da confederação em construir o projeto de fortalecimento da cadeia produtiva.

“A CNA pode contar conosco para trabalharmos juntos. O Brasil já alcançou sucesso em outras áreas do agro e respeito no mundo todo. Agora, temos que confiar que também vamos conseguir isso com o leite”, observou Hegg.

A abertura de novos mercados também foi pauta da reunião.

Segundo Marcelo Martins, diretor executivo da Associação Brasileira de Laticínios (Viva Lácteos), o momento é bom porque a sociedade está madura para tentar um passo importante à frente, que é trabalhar sobre o aumento da produtividade do leite.

“As exportações de queijos, especialmente dos produtos processados, estão 40% mais altas do que no ano passado. Esse é o setor que mais cresce porque trata-se de um produto de maior valor agregado”, analisou Martins.

O Superintendente Técnico da CNA, Bruno Luchhi, identificou que existe convergência e sinergia entre os setores primário e industrial.

 “Vamos elaborar uma agenda focada na abertura de mercados, ganho de competitividade, melhoria da qualidade e da produtividade nacional”, finalizou Lucchi. 


Fonte: CNA
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Blairo nega que Rússia tenha fechado mercado à carne brasileira após restrições 20 de novembro de 2017  O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, negou nesta segunda-feira que a Rússia tenha fechado seu mercado às carnes brasileiras depois de Mosc...
Artigo - Quer trabalhar na roça? Precisa estudar 20 de novembro de 2017 Edson Bolfe Até pouco tempo, jovens filhos de agricultores e pecuaristas ouviam de seus pais que se não estudassem, teriam que trabalhar na ro...
Mercado do boi gordo fecha primeira quinzena de novembro em alta 20 de novembro de 2017 Normalmente, as sextas-feiras são marcadas por lentidão no mercado do boi gordo onde, usualmente, as indústrias aproveitam para testar o mercado of...
PIB de MS tem o melhor desempenho do país em 2015, mostra IBGE 20 de novembro de 2017 O Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso do Sul atingiu R$ 83,1 bilhões em 2015, segundo relatório de contas públicas divulgado hoje, pelo Inst...
Drone: evento apresentará tecnologias do agro no dia 22, em Campo Grande 20 de novembro de 2017 Os veículos aéreos não tripulados vieram para revolucionar o agro no país. A aplicabilidade desses equipamentos é tema do evento ‘Drones e ...
Plantio de soja avança e atinge 73% da área em 2017/18 20 de novembro de 2017 O plantio da safra 2017/18 de soja do Brasil avançou 16 pontos porcentuais em uma semana e atingiu 73% da área prevista até quinta-feira (16/11), i...
Sauditas querem importar mais e investir no país 20 de novembro de 2017 Os sauditas têm interesse em aumentar as importações do Brasil, além de carne de aves e de bovinos e grãos, também de ingredientes para alimenta...