Notícias

Presidente da CPI da JBS pede ao STF e Dodge rescisão de delação de Wesley Batista

10 de novembro de 2017

O presidente da CPI mista da JBS, senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO), enviou no início da tarde desta quinta-feira ofícios ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), e à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, em que sugere a rescisão do acordo de delação premiada do executivo do grupo Wesley Batista.

O argumento do senador tucano, nas manifestações, é que Wesley descumpriu uma das cláusulas do acordo de colaboração em que determina que ele deve falar a verdade em todas as investigações oficiais que for chamado. Alegou que o dever de Wesley de colaborar é incondicional.

Na véspera, Wesley foi chamado a participar de uma audiência da CPI, mas preferiu permanecer em silêncio durante o depoimento.

"Portanto, não se justifica o argumento de que, em vista de eventuais diligências complementares nos acordos de colaboração, os depoentes estariam desobrigados de prestar informações à Comissão Parlamentar de Inquérito ou que este ato se submetesse à prévia autorização do douto órgão do Ministério Público Federal", afirma o ofício endereçado ao ministro do Supremo.

Ataídes também pediu a Edson Fachin e a Dodge a rescisão do acordo de outro executivo do grupo, Ricardo Saud, por se recusar a responder aos questionamentos dos integrantes da comissão.

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot já pediu a Fachin a rescisão do acordo de delação de Saud por ele, juntamente com Joesley Batista, ter omitido informações da delação premiada. O ministro do STF já suspendeu liminarmente os efeitos da colaboração de Saud e Joesley.

Saud está preso preventivamente por ordem do Supremo, enquanto Wesley, por ordem da Justiça Federal paulista, por uso de informação privilegiada de delações para obter lucros financeiros.

"Desse modo, pela recusa dos Senhores Wesley Batista e Ricardo Saud em responder aos questionamentos feitos pelos membros desta CPMI, restou flagrante o descumprimento de seus respectivos acordos de colaboração premiada celebrados com o Ministério Público Federal e homologados pelo Supremo Tribunal Federal", contesta o senador, nas comunicações às duas autoridades.


Fonte: Reuters
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Receita Federal institui o Livro de Caixa Digital do Produtor Rural 11 de dezembro de 2018 No último dia 28 de novembro de 2018, a Secretaria da Receita Federal do Brasil por meio da Instrução Normativa RFB nº 1.848, instituiu o Livr...
Produção em alta pressiona para baixo os preços do leite ao produtor 11 de dezembro de 2018 Em outubro, a produção de leite registrou o maior incremento este ano. Considerando a média nacional, o aumento foi de 3,9% na captação, na compa...
Nelore Fest celebra em São Paulo a raça bovina mais populosa do País 11 de dezembro de 2018 A grande festa anual dos criadores de gado da raça nelore acontece dia 17 deste mês, a partir das 19h, na casa de eventos Villa Vérico, na Vila Ol...
Conab prevê que produção de milho deverá ser maior em 2019 11 de dezembro de 2018 Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aponta que a produção brasileira de milho poderá chegar a 90,95 milhões de toneladas e...
CNT posiciona-se contra greve de caminhoneiros e é a favor do livre mercado 11 de dezembro de 2018 A Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgou nota nesta segunda-feira (10/12) na qual se posiciona contra a greve de caminhoneiros e reafirm...
Alta de preços da arroba do boi gordo na primeira semana de dezembro 11 de dezembro de 2018 A última sexta-feira (7/12) foi de poucos negócios no mercado do boi gordo. Apesar disso, as cotações ficaram firmes e houve altas de preços em q...
Maiores preços do ano no atacado de carne bovina sem osso 11 de dezembro de 2018 O preço da carne sem osso vendida pelos frigoríficos acumula alta de 5,5% desde o início de novembro, ou seja, são cinco semanas seguidas de ajust...