Notícias

Refis alterado deve afetar arrecadação do governo, diz Meirelles

17 de julho de 2017

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira que a versão do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), conhecido como Refis, aprovada em comissão mista do Congresso na véspera, deve afetar a arrecadação do governo.

"Não há dúvida de que o relatório diminui bastante a arrecadação prevista", afirmou Meirelles, em entrevista concedida a jornalistas antes de participar de evento no Rio de Janeiro.

A expectativa, segundo o ministro, é que a arrecadação fique em 1 bilhão de reais com as alterações feitas no programa. Ele não especificou quais eram as previsões anteriores. Na exposição de motivos da medida provisória, editada no fim de maio, o governo havia projetado uma arrecadação líquida de 13,3 bilhões de reais com o Refis em 2017.

Na avaliação de Meirelles, o projeto "pode não atender às necessidades do país", e o governo pode ter de atuar com a base parlamentar para "recuperar o escopo do projeto".

Segundo o texto aprovado na comissão, as empresas e pessoas físicas que tenham débitos com a Receita Federal podem parcelar as dívidas em até 175 parcelas, com abatimentos de juros e multas de mora.

Além disso, o relatório amplia fortemente o universo de contribuintes que poderão se beneficiar de entradas menores.

Antes, o governo tinha estabelecido que os devedores com dívida inferior a 15 milhões de reais poderiam pagar entrada de 7,5 por cento do valor devido entre agosto e dezembro deste ano, ante percentual de 20 por cento que valia para os demais. Agora, poderão se beneficiar os que tiverem dívida de até 150 milhões de reais, pagando no mesmo período apenas 2,5 por cento do valor devido.

Crescimento

O ministro também afirmou que o resultado do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado um sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), que recuou 0,51 por cento em maio na comparação com abril, não fez o governo alterar as expectativas para o crescimento econômico.

O resultado do IBC-Br de maio contrariou a previsão dos analistas que esperavam crescimento de 0,5 por cento.

"A economia brasileira já está numa rota de crescimento", afirmou o ministro. 


Fonte: Reuters
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Mercado do boi gordo fecha primeira quinzena de novembro em alta 20 de novembro de 2017 Normalmente, as sextas-feiras são marcadas por lentidão no mercado do boi gordo onde, usualmente, as indústrias aproveitam para testar o mercado of...
PIB de MS tem o melhor desempenho do país em 2015, mostra IBGE 20 de novembro de 2017 O Produto Interno Bruto (PIB) de Mato Grosso do Sul atingiu R$ 83,1 bilhões em 2015, segundo relatório de contas públicas divulgado hoje, pelo Inst...
Drone: evento apresentará tecnologias do agro no dia 22, em Campo Grande 20 de novembro de 2017 Os veículos aéreos não tripulados vieram para revolucionar o agro no país. A aplicabilidade desses equipamentos é tema do evento ‘Drones e ...
Plantio de soja avança e atinge 73% da área em 2017/18 20 de novembro de 2017 O plantio da safra 2017/18 de soja do Brasil avançou 16 pontos porcentuais em uma semana e atingiu 73% da área prevista até quinta-feira (16/11), i...
Sauditas querem importar mais e investir no país 20 de novembro de 2017 Os sauditas têm interesse em aumentar as importações do Brasil, além de carne de aves e de bovinos e grãos, também de ingredientes para alimenta...
Valor da Produção Agropecuária de 2017 é de R$ 533,5 bilhões 20 de novembro de 2017  O valor bruto da produção agropecuária ( VBP ) para 2017, com base nas informações de outubro, é de R$ 533,5 bilhões, 1,6 % acima do valo...
Programa ABC é destacado no Espaço Brasil durante a COP 23 20 de novembro de 2017 O potencial do país como potência agroambiental foi destacado em painel realizado quarta-feira (15), no Espaço Brasil na Conferência das Partes pa...