Notícias

Refis alterado deve afetar arrecadação do governo, diz Meirelles

17 de julho de 2017

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira que a versão do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), conhecido como Refis, aprovada em comissão mista do Congresso na véspera, deve afetar a arrecadação do governo.

"Não há dúvida de que o relatório diminui bastante a arrecadação prevista", afirmou Meirelles, em entrevista concedida a jornalistas antes de participar de evento no Rio de Janeiro.

A expectativa, segundo o ministro, é que a arrecadação fique em 1 bilhão de reais com as alterações feitas no programa. Ele não especificou quais eram as previsões anteriores. Na exposição de motivos da medida provisória, editada no fim de maio, o governo havia projetado uma arrecadação líquida de 13,3 bilhões de reais com o Refis em 2017.

Na avaliação de Meirelles, o projeto "pode não atender às necessidades do país", e o governo pode ter de atuar com a base parlamentar para "recuperar o escopo do projeto".

Segundo o texto aprovado na comissão, as empresas e pessoas físicas que tenham débitos com a Receita Federal podem parcelar as dívidas em até 175 parcelas, com abatimentos de juros e multas de mora.

Além disso, o relatório amplia fortemente o universo de contribuintes que poderão se beneficiar de entradas menores.

Antes, o governo tinha estabelecido que os devedores com dívida inferior a 15 milhões de reais poderiam pagar entrada de 7,5 por cento do valor devido entre agosto e dezembro deste ano, ante percentual de 20 por cento que valia para os demais. Agora, poderão se beneficiar os que tiverem dívida de até 150 milhões de reais, pagando no mesmo período apenas 2,5 por cento do valor devido.

Crescimento

O ministro também afirmou que o resultado do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado um sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), que recuou 0,51 por cento em maio na comparação com abril, não fez o governo alterar as expectativas para o crescimento econômico.

O resultado do IBC-Br de maio contrariou a previsão dos analistas que esperavam crescimento de 0,5 por cento.

"A economia brasileira já está numa rota de crescimento", afirmou o ministro. 


Fonte: Reuters
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Exportação sustenta arroba, mas consumo interno fraco pressiona a carne 19 de abril de 2018 Colaboradores do Cepea esperavam que, em 2018, as cotações da arroba e da carne de boi se recuperassem, baseados em projeções que indicavam uma re...
Suspensão de plantas de aves deve afetar o mercado do boi 19 de abril de 2018 O recente anúncio da União Europeia (UE) de proibir a importação de carne de frango de 20 frigoríficos brasileiros em função da presença de n...
Cenário do boi gordo é de transição e incerteza 19 de abril de 2018 O mercado do boi gordo pode ter iniciado um ciclo positivo com o aumento da demanda por carne neste mês e o retorno dos índices de intenção de con...
Mercado do boi gordo perdendo força 18 de abril de 2018 Com a entrada da segunda quinzena do mês, os frigoríficos, com o intuito de ajustar os estoques à demanda vigente, compram com cautela.Com a demand...
Tendência de mudança no rumo do mercado de reposição 18 de abril de 2018 A procura por bovinos de reposição tem ganhado melhor ritmo em relação às últimas semanas, mas ainda não tem sido suficiente para reverter a te...
Carta Conjuntura - Brasil embarcará volume histórico de carne bovina em 2018 18 de abril de 2018 De acordo com as projeções do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos – USDA, o volume de carne bovina comercializado mundialmente atin...
Índia vai importar do Brasil embriões bovinos e suínos vivos para reprodução 18 de abril de 2018 A autoridade sanitária da Índia oficializou a importação de embriões bovinos e de suínos vivos do Brasil. A aprovação de certificados sanitár...