Notícias

Refis alterado deve afetar arrecadação do governo, diz Meirelles

17 de julho de 2017

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta sexta-feira que a versão do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), conhecido como Refis, aprovada em comissão mista do Congresso na véspera, deve afetar a arrecadação do governo.

"Não há dúvida de que o relatório diminui bastante a arrecadação prevista", afirmou Meirelles, em entrevista concedida a jornalistas antes de participar de evento no Rio de Janeiro.

A expectativa, segundo o ministro, é que a arrecadação fique em 1 bilhão de reais com as alterações feitas no programa. Ele não especificou quais eram as previsões anteriores. Na exposição de motivos da medida provisória, editada no fim de maio, o governo havia projetado uma arrecadação líquida de 13,3 bilhões de reais com o Refis em 2017.

Na avaliação de Meirelles, o projeto "pode não atender às necessidades do país", e o governo pode ter de atuar com a base parlamentar para "recuperar o escopo do projeto".

Segundo o texto aprovado na comissão, as empresas e pessoas físicas que tenham débitos com a Receita Federal podem parcelar as dívidas em até 175 parcelas, com abatimentos de juros e multas de mora.

Além disso, o relatório amplia fortemente o universo de contribuintes que poderão se beneficiar de entradas menores.

Antes, o governo tinha estabelecido que os devedores com dívida inferior a 15 milhões de reais poderiam pagar entrada de 7,5 por cento do valor devido entre agosto e dezembro deste ano, ante percentual de 20 por cento que valia para os demais. Agora, poderão se beneficiar os que tiverem dívida de até 150 milhões de reais, pagando no mesmo período apenas 2,5 por cento do valor devido.

Crescimento

O ministro também afirmou que o resultado do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado um sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), que recuou 0,51 por cento em maio na comparação com abril, não fez o governo alterar as expectativas para o crescimento econômico.

O resultado do IBC-Br de maio contrariou a previsão dos analistas que esperavam crescimento de 0,5 por cento.

"A economia brasileira já está numa rota de crescimento", afirmou o ministro. 


Fonte: Reuters
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Comercialização de grãos continua travada com indefinição do frete 20 de junho de 2018 A comercialização do milho e da soja está travada por causa da indefinição de preços de frete rodoviário, informou nesta terça-feira (19/6) o ...
Aumento de preços do boi gordo em Mato Grosso, mas sinal de alerta deve ser ligado 20 de junho de 2018 No contexto geral, o mercado do boi gordo iniciou esta semana com poucos negócios. Em estados como Pará, Bahia e Mato Grosso do Sul, vários frigor...
Presidente da Comissão de Ética da Presidência diz que MAPA está na vanguarda 20 de junho de 2018 O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Luís Navarro, em entrevista ao portal do MAPA disse que ao criar o Selo A...
Desabastecimento pós-greve sustenta preços do leite 20 de junho de 2018 A greve dos caminhoneiros no final de maio e a consequente redução da oferta vêm pesando no processo de formação de preços do leite no campo e d...
Aprosoja/MS realiza lançamento estadual da colheita do milho safrinha 17/18 20 de junho de 2018 A Aprosoja/MS – Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul - realizará, na próxima segunda-feira (25), a partir das 10h, o lan...
Ordem do dia da Câmara suspende votação de PL dos agrotóxicos 20 de junho de 2018 A votação do projeto de lei (PL) 6299/2002, que flexibiliza as regras para fiscalização e utilização de agrotóxicos no País, foi suspensa pela...
Forte alta nas cotações do leite longa vida em junho 20 de junho de 2018 O preço do leite longa vida (UHT) subiu na primeira quinzena de junho, tanto no atacado como no varejo. No atacado, segundo levantamento da Scot Cons...