Notícias

75% do crescimento da atividade econômica virá da agropecuária

15 de maio de 2017

Sem a agropecuária, o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil teria alta de 0,12% em 2017, em vez do já modesto 0,47% projetado pelo mercado. O setor deve ter uma fatia de 75% do crescimento da atividade econômica neste ano, maior peso em 18 anos.

O número foi calculado pela consultoria Tendências a pedido da Folha com base nas projeções feitas por analistas de mercado ouvidos pelo boletim Focus, do Banco Central, para o PIB dos diferentes setores da economia.

Essa alta participação, a maior desde 1999, quando o PIB agrícola representou 77% do total, ocorre tanto pelo bom momento para o campo quanto pela dificuldade de recuperação dos outros setores. Beneficiada pelo clima favorável, a safra de grãos será recorde e subirá mais de 26%, segundo o IBGE.

Os analistas apostam em altas de 6,4% e 0,88% para a agropecuária e a indústria, respectivamente, e uma queda de 0,06% em serviços.



"A criação de empregos no setor agropecuário auxilia no desenvolvimento do consumo interno, ajudando a impulsionar, de forma defasada, o varejo. É uma boa notícia em meio a um cenário de retomada gradual da atividade", diz o economista Bruno Levy, da Tendências.

A consultoria tem uma estimativa mais conservadora para a fatia de agro no PIB do que a da MB Associados, que projeta participação de cerca de 90%. Os cálculos diferem pois dependem do peso que se atribui à agropecuária dentro da atividade econômica.

O economista­chefe da MB, Sérgio Vale, destaca que o cálculo é só "até a porta da fazenda". Se a agroindústria e serviços repetirem esse desempenho, segundo ele, essa expansão pode se espalhar pelo restante da economia.

O economista lembra que o peso que o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da USP (Universidade de São Paulo), considera para toda a cadeia, incluindo a agroindústria e serviços, é de 22% do PIB.

Quando se leva em conta somente a agropecuária, o percentual é de cerca de 5%.

"Supondo que o crescimento do setor como um todo seja semelhante ao que se vê no início da cadeia, o impacto [sobre o PIB como um todo] pode ser muito maior", afirma Vale.



Vagas no interior

Economistas apontam que dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, dão uma ideia de como vem sendo distinto o comportamento do emprego no interior e nas capitais.

No primeiro trimestre do ano, o interior dos Estados que abrigam as nove maiores regiões metropolitanas criou mais de 41 mil empregos formais, enquanto as capitais e arredores eliminaram 92,89 mil postos de trabalho.

Além disso, das 20 cidades que mais criaram vagas entre janeiro e março, aparece somente uma capital, Goiânia.

Na avaliação de Igor Velocico, do banco Bradesco, a produção agrícola e a inflação em baixa, que aumenta o poder de compra, são as duas boas notícias para a economia brasileira neste ano. "Você gera mais incentivo para produzir, e esse efeito passa para o restante da economia."

A força do campo em 2017 também está tendo efeitos positivos, ainda que incipientes, sobre o comércio de cidades ligadas ao agronegócio.

"Está melhor do que o ano passado, mas ainda está ruim, porque há muito desemprego", diz Mário Gazin, dono da rede de imóveis e eletrodomésticos Gazin, com unidades do Acre ao Paraná, passando pelo Centro­Oeste."

"Estamos voltando aos níveis de 2014, um ano bom."



Fonte: Folha de São Paulo
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Pecuaristas pedem ajuda ao Governo para escoar produção de leite 21 de setembro de 2017 Pecuaristas querem que a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) compre 50 mil toneladas de leite em pó, para ajudar a melhorar o preço pago pel...
Mais de 40 mil produtores podem ficar sem a subvenção do seguro rural 21 de setembro de 2017 O governo já reconhece que pode faltar recursos para o seguro rural deste ano. Com isso, mais de 40 mil produtores podem ficar sem a subvenção do g...
Produção brasileira de carne bovina deve ter leve alta em 2017, crescer 3-4% em 2018 21 de setembro de 2017 A produção de carne bovina no Brasil deve crescer entre 3% e 4% em 2018, segundo estimativa de analistas do Rabobank divulgada em relatório na quar...
Boi: Com inseguranças no setor, preço segue em queda 21 de setembro de 2017 O Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo recuou 1,6% entre 13 e 20 de setembro, fechando a R$ 141,60 nessa quarta-feira, 20. Isso porque a inseg...
MS: Próxima safra de soja deve ter ajuste e produção de 8,3 milhões de toneladas 21 de setembro de 2017 Apesar da última safra de soja em Mato Grosso do Sul ter sido recorde em produção, com boa colheita e ótima produtividade, a estimativa para 2017/...
Frigoríficos voltam às compras, mas demanda ruim pressiona o mercado do boi gordo 21 de setembro de 2017 Aos poucos, as indústrias estão voltando às compras. Porém, mesmo com os frigoríficos afastados das negociações nos últimos dias, as empresas ...
Convocação Eleição Acrissul 20 de setembro de 2017 Caríssimo Associado,Por todo tipo de apoio recebido, registramos mais uma vez nossos melhores agradecimentos.É chegada a hora, Estatutariamente, de ...


Foto: Mauro Zafalon/Folhapress