Notícias

75% do crescimento da atividade econômica virá da agropecuária

15 de maio de 2017

Sem a agropecuária, o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil teria alta de 0,12% em 2017, em vez do já modesto 0,47% projetado pelo mercado. O setor deve ter uma fatia de 75% do crescimento da atividade econômica neste ano, maior peso em 18 anos.

O número foi calculado pela consultoria Tendências a pedido da Folha com base nas projeções feitas por analistas de mercado ouvidos pelo boletim Focus, do Banco Central, para o PIB dos diferentes setores da economia.

Essa alta participação, a maior desde 1999, quando o PIB agrícola representou 77% do total, ocorre tanto pelo bom momento para o campo quanto pela dificuldade de recuperação dos outros setores. Beneficiada pelo clima favorável, a safra de grãos será recorde e subirá mais de 26%, segundo o IBGE.

Os analistas apostam em altas de 6,4% e 0,88% para a agropecuária e a indústria, respectivamente, e uma queda de 0,06% em serviços.



"A criação de empregos no setor agropecuário auxilia no desenvolvimento do consumo interno, ajudando a impulsionar, de forma defasada, o varejo. É uma boa notícia em meio a um cenário de retomada gradual da atividade", diz o economista Bruno Levy, da Tendências.

A consultoria tem uma estimativa mais conservadora para a fatia de agro no PIB do que a da MB Associados, que projeta participação de cerca de 90%. Os cálculos diferem pois dependem do peso que se atribui à agropecuária dentro da atividade econômica.

O economista­chefe da MB, Sérgio Vale, destaca que o cálculo é só "até a porta da fazenda". Se a agroindústria e serviços repetirem esse desempenho, segundo ele, essa expansão pode se espalhar pelo restante da economia.

O economista lembra que o peso que o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da USP (Universidade de São Paulo), considera para toda a cadeia, incluindo a agroindústria e serviços, é de 22% do PIB.

Quando se leva em conta somente a agropecuária, o percentual é de cerca de 5%.

"Supondo que o crescimento do setor como um todo seja semelhante ao que se vê no início da cadeia, o impacto [sobre o PIB como um todo] pode ser muito maior", afirma Vale.



Vagas no interior

Economistas apontam que dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, dão uma ideia de como vem sendo distinto o comportamento do emprego no interior e nas capitais.

No primeiro trimestre do ano, o interior dos Estados que abrigam as nove maiores regiões metropolitanas criou mais de 41 mil empregos formais, enquanto as capitais e arredores eliminaram 92,89 mil postos de trabalho.

Além disso, das 20 cidades que mais criaram vagas entre janeiro e março, aparece somente uma capital, Goiânia.

Na avaliação de Igor Velocico, do banco Bradesco, a produção agrícola e a inflação em baixa, que aumenta o poder de compra, são as duas boas notícias para a economia brasileira neste ano. "Você gera mais incentivo para produzir, e esse efeito passa para o restante da economia."

A força do campo em 2017 também está tendo efeitos positivos, ainda que incipientes, sobre o comércio de cidades ligadas ao agronegócio.

"Está melhor do que o ano passado, mas ainda está ruim, porque há muito desemprego", diz Mário Gazin, dono da rede de imóveis e eletrodomésticos Gazin, com unidades do Acre ao Paraná, passando pelo Centro­Oeste."

"Estamos voltando aos níveis de 2014, um ano bom."



Fonte: Folha de São Paulo
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Caminhos do Produtor chama sociedade para movimento de caminhoneiros 25 de maio de 2018 O Programa Caminhos do Produtor, que vai ao ar hoje a partir das 22 horas pelo Canal 181 da NET aborda, entre outros assuntos, os reflexos do moviment...
"Não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis", diz Eunício 25 de maio de 2018 O presidente do Senado, Eunício Oliveira, disse nesta sexta-feira (25) que não cabe ao Congresso definir preço de combustíveis. Evitando se posici...
Mesmo após acordo, caminhoneiros mantêm 37 pontos de interdição em MS 25 de maio de 2018 Mesmo após acordo com o governo federal, anunciado na noite de ontem (25), os caminhoneiros mantêm 37 pontos de interdição em rodovias federais de...
Na internet, caminhoneiros negam acordo com o governo 25 de maio de 2018 As propostas anunciadas pelo governo federal para tentar conter a manifestação dos caminhoneiros não foi recebida por unanimidade pela categoria. E...
Alta do petróleo encarece exportação de carne 25 de maio de 2018 A alta de preços do petróleo e o aumento de embarques para o Extremo Oriente, principalmente após o embargo russo às proteínas bovina e suína do...
Greve dos caminhoneiros dificulta logística do mercado do boi gordo 25 de maio de 2018 Com as dificuldades de logística, em geral, não há referência no mercado do boi gordo e as escalas pararam de avançar. A última alta do preço d...
ABPA: cadeia de aves e suínos está com 120 plantas frigoríficas paradas 25 de maio de 2018 A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) alerta para o descumprimento de uma promessa feita pelas lideranças dos caminhoneiros, na quarta...


Foto: Mauro Zafalon/Folhapress