Notícias

MS lança novo programa para estimular a produção de animais precoces na pecuária

18 de abril de 2017

O governo de Mato Grosso do Sul lançou na manhã desta segunda-feira (17), sua nova ferramenta de incentivo a utilização de boas práticas na criação de bovinos, visando assegurar a qualidade do produto obtido, por meio da modernização do processo produtivo, da sustentabilidade da atividade e assegurando ainda avanços na gestão sanitária do animais e o aumento do desfrute do rebanho. O Novilho MS substitui, com grandes avanços, o antigo Novilho Precoce.

O novo programa deixa de avaliar somente o animal que vai para o abate para a concessão de incentivo fiscal e vai analisar também todo o ciclo produtivo para que o benefício seja oferecido. A versão anterior do programa foi criada em 1992 e estava desatualizada, não se adequando mais a realidade do segmento que evoluiu muito nestes 25 anos.

Neste sentido serão analisados o processo produtivo na propriedade em que o novilho precoce foi criado, o produto obtido (animal) e ainda a padronização do lote encaminhado para o abate.

No que se refere ao processo produtivo na propriedade, serão levados em conta aspectos como: rastreabilidade; uso de boas práticas agropecuárias e utilização de tecnologias que promovam a sustentabilidade do sistema, em especial, as que mitigam a emissão de carbono, como a recuperação de pastagens degradas e os sistemas integrados (lavoura-pecuária – ILP e lavoura-pecuária-florestal - ILPF); além do associativismo, com a participação do criador em associações de produtores, visando assegurar a produção comercial sistematizada para o atendimento de padrões pré estabelecidos em acordos comerciais.

A maior parte das informações relativas a propriedade será auto declaratória, ou seja, será o produtor, por meio de um responsável técnico, que terá de informar o governo do estado. Entretanto, os dados são passíveis de serem auditados. Se uma informação prestada não corresponder a realidade poderá levar a suspensão ou até a exclusão do programa, que contará com um sistema de gestão informatizado, o que aumentará a confiabilidade destes dados.

Quanto ao animal que é encaminhado para o abate, a carcaça será avaliada, para o enquadramento como novilho precoce, de acordo com a secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), em quesitos como: sexo, maturidade, acabamento e peso. Terá ainda de ser aprovada por um dos serviços de inspeção: o federal (SIF), o estadual (SIE) ou brasileiro de produtos de origem animal (Sisbi).

Já sobre a padronização dos lotes que chegam aos frigoríficos, o programa instituiu quatro classificações. “Ótimo”, nos casos em que a quantidade de animais classificados é superior a 80% do lote; “Muito bom”, quando o enquadramento fica entre 70% e 80%; “Bom”, quando é de 60% a 70% e “Regular”, nos grupos em que o percentual é menor que 60%.

O incentivo fiscal do programa continua sendo um benefício que será concedido aos produtores no imposto devido nas operações realizadas dentro do estado e com os animais que se enquadram nos critérios da iniciativa. Deste benefício, 30% do valor será calculado levando em conta o processo produtivo e outros 70% as condições do animal. O percentual do incentivo tem 18 faixas de enquadramento, que variam de 16% a 67%.


Fonte: G1 – MS
Voltar Imprimir
Deixar um comentário
Nome
Comentário
 

Notícias recentes

Após 8 anos livre, Colômbia detecta foco de aftosa 26 de junho de 2017 A Colômbia registrou seu primeiro foco de febre aftosa desde 2009, quando o país foi declarado livre da enfermidade que afeta o gado. O caso pode im...
"A JBS manipula o mercado nos Estados Unidos", diz carta de associação 26 de junho de 2017 “Se as acusações estiverem corretas, então a JBS zombou das leis dos Estados Unidos. Se construiu seu império utilizando meios ilegais, ele ...
Carne brasileira teme novas restrições estrangeiras 26 de junho de 2017 Os próximos dias serão tensos para a cadeia da carne brasileira. O setor torce para que mercados com mais peso, como o Japão e a União Europeia, p...
É improvável que vacina cause abscesso em carne, diz indústria veterinária 26 de junho de 2017 Não é provável que a vacina seja a causa de abscessos encontrados pelo governo dos Estados Unidos na carne brasileira, problema este citado como um...
Carne do Brasil não oferece risco aos EUA, diz governo; vacina em xeque 26 de junho de 2017 Os problemas apontados pelos Estados Unidos em relação à carne brasileira não oferecem risco à saúde pública e há indicações de que os absce...
Pecuaristas gastam até 600 milhões por ano com vacina da aftosa 26 de junho de 2017 Sebastião Guedes, vice-presidente do Conselho Nacional de Pecuária de Corte (CNPC), afirma que o embargue de carne brasileira pelos Estados Unidos, ...
Formação de abscessos pode estar relacionado a problemas de manejo, afirma pecuarista 26 de junho de 2017 A formação de abscessos, principal argumento utilizado pelo governo norte-americano para suspender a importação de carne in natura do Brasil, pode...


Foto: Divulgação/Aspnp
Show da Carcaça abateu 1.772 animais na edição de 2016, segundo a Aspnp