Colunistas

Jonatan Pereira Barbosa

Palavra do Presidente

Presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul)

Pecuária reage positivamente no mercado regional

Segunda, 27 de novembro de 2017 às 09h32

Após um início de ano desfavorável para a pecuária brasileira, em vista da Operação Carne Fraca, da volta da cobrança do Funrural por conta da decisão do Supremo Tribunal Federal, e também devido à crise provocada pelos efeitos da delação e prisão dos irmãos Batista. 

Em Mato Grosso do Sul,  graças a uma série de gestões envolvendo entidades ruralistas e Poder Público, finalmente a pecuária deve fechar o ano com um saldo extremamente positivo.

No início do semestre a crise interna e a suspensão temporária de alguns destinos internacionais acabou represando gado gordo em pé no Estado o que, numa iniciativa da Acrissul e seguida por outras entidades, fomos ao governador do Estado Reinaldo Azambuja e solicitamos a redução da alíquota do ICMS para vendas de gado em pé para outros estados, o que foi prontamente atendido. Com a redução decretada por 90 dias, rapidamente o mercado reagiu e todo o estoque represado foi destinado ao abate em outros estados, com a consequente reação do preço da arroba do boi no Estado,que voltou aos patamares normais.

Apesar de durante o ano algumas plantas frigoríficas anunciarem paralisação dos abates, pouco a pouco a atividade vai retomando sua normalidade no Estado, visando principalmente o aumento das exportações e também o crescimento do consumo interno, também em função das festividades de fim de ano. Atualmente o MS tem 30 plantas abatendo, com a retomada mais recente do Marfrig de Paranaíba. Deste total, 13 delas são com selo de inspeção estadual e o restante com inspeção federal. 

O desequilíbrio provocado pela crise do JBS causou a volta ao mercado de uma série de pequenos e médios frigoríficos, estando em estudos ainda a reabertura de abates em novas plantas em Campo Grande, Sidrolândia, Santa Rita do Pardo, Porto Murtinho, Aparecida do Taboado, entre outros.

Outro setor que comemora resultados favoráveis é o do novilho precoce. Depois da suspensão temporária pelo governo dos incentivos, para ajustes no programa, os números após a reativação são surpreendentes. Após a reorganização do programa a expectativa do Governo era de que seriam abatidos em 2017 cerca de 80 mil animais classificados como precoce. No entanto, até o final de outubro já haviam sido contabilizados 177 mil animais classificados abatidos.

Isso mostra que quando há parceria entre o Poder Público, a iniciativa privada e a sociedade civil organizada, o mercado se ajusta e a economia só cresce, movimentando todos os segmentos da indústria, do comércio e do setor de serviços.

 
Voltar Imprimir


Cotações de 11/12 - MS

R$ 136,50 Boi gordo
R$ 128,00 Vaca gorda
R$ 1151,16 Bezerro à vista