Colunistas

Jonatan Pereira Barbosa

Palavra do Presidente

Presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul)

O agronegócio avança, apesar das turbulências

Terça, 20 de setembro de 2016 às 09h25

A recessão causada pela má gestão da economia por quem deveria zelar pelo País, apesar dos estragos causados em todos os segmentos, sem distinção, acabou por atingir de maneira superficial o agronegócio brasileiro, que segue registrando bons índices em todos seus elos, alguns deles só sendo impactados – como a agricultura – por fatores climáticos que escapam totalmente ao controle do produtor.

As exportações de produtos primários – notadamente grãos, carnes, etanol e celulose – já sinalizam para 2016 um novo recorde, conforme análises encaminhadas pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP, garantindo que o excedente produzido no Brasil ganhe importantes e valorizados mercados externos, sustentando a balança comercial brasileira. Ao que tudo indica, a profecia do “Brasil celeiro do mundo” se aproxima cada vez mais da realidade. No primeiro semestre deste ano, o faturamento obtido com as vendas externas atingiu US$ 45 bilhões, aumento de 4% em comparação com o ano passado. Em reais, a alta foi de 8%.

E as incursões do novo Ministério da Agricultura em países do Oriente já garantem a abertura e ampliação das exportações de gado vivo, tanto magro quanto pronto para o abate. Numa realidade comparada, o trabalho desenvolvido pela cadeia produtiva tirou o Brasil da condição de importador de carnes na década de 70 para ser um dos maiores produtores e exportadores do mundo. Tanto em qualidade quanto em quantidade.

Enquanto comércio, indústria e serviços registram retração na oferta de emprego, o campo cria mais e mais vagas de trabalho, validando-se como um exemplar setor dinamizador da economia.

Em Mato Grosso do Sul parcerias das iniciativas pública e privada vêm tornando o Estado um centro de referência tanto em pesquisa quanto em qualidade da carne. Não é à toa que o MS  hospeda em seu território três unidades nacionais da Embrapa, além de várias fundações e centros de pesquisas administrados por universidades, que garantem que as tecnologias sejam difundidas e aplicadas para elevar a produção agropecuária à sua máxima potência.

E cada vez mais o Estado consolida-se como um polo de disseminação de práticas sustentáveis. O desenvolvimento de sistemas de integração (lavoura, pecuária e florestas) vem chamando a atenção do mundo inteiro para a carne verde, produzida a pasto, respeitando o meio ambiente, o bem-estar animal e dentro de boas práticas agropecuárias que agregam um valor inestimável para os produtos da pecuária regional.

Prova disse é o mais recente conceito trazido para o mercado – o da Carne Carbono Neutro – que colocará definitivamente o Mato Grosso do Sul na ponta do mapa da produção sustentável.

De sol a sol o agronegócio, este setor que não pára nunca, mostra ao mundo com simplicidade e eficiência que é possível conquistar novos mercados, melhorar os que já existem e dar  um exemplo vivo de amor à terra e às pessoas.
 

Voltar Imprimir


Cotações de 17/08 - MS

R$ 123,00 Boi gordo
R$ 113,50 Vaca gorda
R$ 1087,20 Bezerro à vista